Moranguete – O jeito de pedir biscoito (Episódio 3)

  • Post author:
  • Post category:Sem categoria
  • Post last modified:março 27, 2020
  • Reading time:15 min(s) read
#episodioanterior

Red acabou se surpreendendo quando começou a conversar com Emie, não por ser tratado com fofura – já que isso era algo que esperava por parte dela. Algo no comportamento dele atrai a atenção de Zie que lhe toma o celular e o que ela vê lhe deixa a ponto de vomitar arco-íris.

Partindo pra um fim de semana no sítio da amiga, apesar do calor, Red se nega a mergulhar na piscina, até se ver obrigado a entrar por livre e espontânea pressão, mas mesmo depois de fazer isso, um ato de imprudência quase o leva a se afogar, assim como a garota que o empurrou.

Acompanhe a minissérie » EP 1 • EP 2 • EP 3 • EP 4 • EP 5 • EP 6 • EP 7


Cada vez mais próximo de Emie, Red ia se distanciando do objetivo inicial que era provar que a garota não era tudo o que parecia ser. O problema é que quanto mais conversavam mais ele ficava envolvido, a ponto de esquecer o motivo que o levou a se tornarem amigos.

Como a página da rede social ficava aberta, enquanto ia conversando com Emie, ele começou a acompanhar as postagens dos amigos e conhecidos. O que se mostrou bastante útil, já que assim podia estar informado de tudo que acontecia sem precisar perguntar nada pra ninguém, só que isso estava demandando cada vez mais tempo.

O pior é que as pessoas insistiam de postar tudo que lhes acontecia, inclusive lavando roupa suja, mas conforme o vício crescia, ele conseguia saber dos maiores bafões e se manter atualizado da vida alheia.

Excesso de distração era um dos motivos pelo qual tinha excluído o app do celular, deixando também de usar outras redes, assim podia concentrar a atenção em coisas mais construtivas, como desenhar – paixão que andava meio largada, apesar dele ser extremamente habilidoso em diferentes técnicas.

— Quer dizer que cê anda maior viciado em rede social, garoto?

Ouvir a voz de Zie soar no silêncio sem ser esperada, o fez levar maior susto, ainda mais porque estava bem distraído processando a bomba que tinha acabado de descobrir.

— Que suto, Zie! Quer me matar do coração, infeliz!? – Ele rapidamente minimizou a janela do navegador. – Tô nada! Só ando bem informado.

“Nem provas são suficientes quando a pessoa decide optar pela versão que acredita ser a realidade, mesmo que ela não passe de sombras.”

— Ahaaam! – Ela desdenhou. – Que cê tá escondendo então, Red!? – Zie levantou a sobrancelha.

— Nada… só fazendo umas pesquisas…

— Cê acha que não conheço esse layout com predominância de azul? – Ela semicerrou os olhos e sorriu exibindo as covinhas. – Só falta tá de papinho com a tal da Moranguete.

Foi Zie fechar a boca e o botão da janela começou a piscar indicando que tinha chegado mensagem de Emie.

— Ah! – Red ficou vermelho. – Ela ‘té é legal.

— Garoto, ela é boa de papo.

— Pior que é muito mesmo! – Ele estava admirado.

— Vê se fica esperto! Não vai cair na lábia cê também. – Ela alertou.

— Suave, meu parça!

— Ai, garoto, como cê me irrita! – Ela revirou os olhos. – Cê sabe que detesto quando cê me chama assim.

— Relaxa, Zie, a vida é bela! Carpe Diem! – Ele se pôs de pé, colocou o braço no ombro dela e a puxando pra si, sorriu de um jeito que a deixou sem graça total.

— Bobo! – Elas sorriu, sentido a raiva evaporar.

Foi aí que o semblante dele mudou completamente, preocupada Zie perguntou se tinha algo errado, Red pensou bastante, então resolveu contar o que tinha acontecido e que ia precisar da opinião dela, como amiga. Ouvir isso a fez se sentir importante e ela sentou ao lado do amigo pra dar mais atenção ao que ele tinha pra dizer.

“Verdadeiros amigos não são encontrados as pencas, no máximo se usa uma mão para contá-los.”

Red aproveitava o horário vago pra dar umas bisbilhotadas básicas no que os amigos andavam postando, quando acabou indo parar no perfil de uma garota, através do namorado de Iowa.

A garota, magérrima, era bem atraente, conforme se podia constatar pelas fotos só de biquíni ou provocantes, mas até aí ainda não havia novidade, já que sensualizar nas redes sociais meio que tinha se tornado padrão – esse era o jeito de pedir biscoito – e realmente funcionou, Red até abriu a foto pra ver melhor.

Foi aí que reparou nas curtidas e viu que o namorado de Iowa a tinha curtido, mas não era qualquer curtida, mas um Uau. Ele foi acompanhado as curtidas de todas as fotos, só pra ver que a reação dele ficava entre Uau e Amei.

Se Red já o tinha achado descarado pelas curtidas, quase caiu da cadeira ao ver os comentários, em quase todos ele dava em cima da garota, num deles havia uma conversa recente onde, antes de chamá-la pro privado, ele a convidava pra sair. A ousadia foi tamanha que Red até ficou sem reação e sem saber o devia fazer.

Era indignação demais pra caber numa pessoa só, Iowa, além de linda e com maior corpão, era inteligente, independente financeiramente, com o próprio carro e apê, além de ganhar bem, já o bóroca de namorado dela, além de feio e espinhento, se achava demais, mesmo ainda morando com os pais e sem, se quer, ter uma moto própria.

— E aí, acha que devo contar? – Red estava visivelmente confuso.

— Cê tem ideia de como seria a reação dela?

— Mais ou menos. – Ele se mostrou inseguro.

— Como assim, mais ou menos? – Ela ficou confusa.

— É que sempre fui cismado com ele.

Antes mesmo Iowa namorá-lo, Red não gostava muito dele e tentava manter a amiga longe do cara, mas não adiantou de nada, até ele o ver de graça com uma garota e contar pra Iowa, como resultado eles acabaram discutindo e resolveram dar um tempo. Só que isso não durou nem uma semana, pois ele apareceu no apê dela com buquê de flores e chorando disse que tudo tinha sido apenas um mal entendido.

Como Iowa o amava, os dois acabaram fazendo as pazes e tudo que aconteceu ficou apenas como uma bobagem pra ignorar caso viesse a mente.

— Quer dizer que cê tentou falar que ele não presta antes? – Ela estava pensativa.

— Sim.

— E não deu certo!

— Su memo! Mas dessa vez tenho provas! – Ele mostrou na tela os prints que tirou.

— Red, melhor deixar pra lá. – Zie falou baixo, mas firme.

— Mas ela é minha amiga e merece a verdade! Aquele cara não vale nada. – Ele se sentiu indignado.

— Entendo, mas nem provas são suficientes quando a pessoa decide optar pela versão que acredita ser a realidade, mesmo que ela não passe de sombras.

Isso fez Red ter mais o que pensar antes de decidir o que fazer, enquanto a amiga o deixava a sós.

— Foi mesmo aquele féla que botou pimenta no meu churrasco! – Um estalo o fez entender que o namorado de Iowa tinha motivos pra isso, afinal, tudo tinha acontecido apenas há algumas e Red tinha sido o único a vê-lo de graça com a garota.

Daí que Emie o chamou e ele acabou se distraindo tanto que até esqueceu do dilema que tinha pra resolver.

Pouco depois, Zie retorna e se aproxima silenciosamente por trás de Red, pronta pra surpreendê-lo com o chocolate favorito dele – Diamante Negro – então o viu no maior papo com a tal da Moranguete. Furiosa, ela se afastou rapidamente e foi sentar do outro lado do laboratório, ficando o mais longe possível do amigo.

Foi como se ela nem tivesse avisado pra ter cuidado, Red estava tão envolvido com os encantos da garota que parecia não se importar de estar caindo nos laços dela.

“Como os garotos podem ser tão borócas?” – Ela gritou em pensamento.

Estava na cara que a tal garota era fake, mas só ela parecia enxergar isso, foi aí que um raio de maldade lhe acendeu uma ideia e Zie resolveu adicioná-la. Ela mesma ia tirar a prova dos nove e mostrar de uma vez por todas que tinha razão.

— Já devia ter feito isso, ao invés de falar pra outro tonto adicionar essa garota e cair na lábia dela! – Zie reclamou enquanto devorava o chocolate.

A sala vazia e o silêncio, só incomodavam conforme Zie observava, pelo vidro da janela basculante, Red embasbacado conversar com Moranguete, enquanto postavam mensagens um no perfil do outro.

Bom, pelo menos o amigo estava distraído a ponto de não perceber que estava sendo observado, o que a fez se sentir menos ridícula pela atitude – também não tinha ninguém pra surpreendê-la adicionando a garota. Então ela aproveitou pra dar uma boa stalkeada no perfil da Moranguete.

Podia ser que Zie não estivesse tão errada assim, pois além da garota estar minando sua amizade com Red, ela também estava causando outro conflito entre amigos, dessa vez entre Red e Zack.

É que conforme Red foi se tornando mais próximo de Emie, Zack meio que ficou com ciúmes, então começou uma disputa, silenciosa, entre os dois, de quem mandava mais recados, cheios de palavras carinhosas, e ver quem ela respondia em menos tempo, afinal, os dois necessitavam cada vez de mais atenção daquele ser angelical.

Quando viam que isso não acontecia em poucos segundos, já sabiam que ela estava desconectada, o que era chato já que tinha de jogar conversa fora com os outros contatinhos.

A amizade que vinha durando quase três semanas, tinha causado forte impacto sobre Red, além dele voltar a usar as redes sociais ativamente, agora vivia sorrindo e se sentindo mais disposto.

Enquanto isso, a competição entre ele e Zack seguia intensa, cada postagem, mensagem ou sinal de atenção valia determinada quantidade de pontos pra eles, mas o que mais contava era a ordem de prioridade em que eram respondidos. Isso era a maior causa da disputa entre os dois, tanto que até chegaram a discutir nas próprias mensagens, então sobrava pra Emie ter de visualizar o perfil de cada um pra entender o que estava acontecendo e os apaziguar.

Isso os conseguia acalmar momentaneamente, mas logo eles recomeçavam tudo de novo. A coisa ficou séria mesmo, quando Red se gabou de ter mais atenção de Emie, tanto que até tinha conseguido o número dela.

— Cê conseguiu o quê? – Ele perguntou incrédulo.

— O telefone dela! – Red estava todo convencido.

— Até parece! – Zack desdenhou. – Nem eu que fiquei com ela, tenho o número.

— Eu sim! – Red piscou, todo risonho.

— Se toca, Red! – Ele zombou. – Se fosse pra ela passar o número ia ser pra mim, não pra você.

— Jura!? – Ele perguntou com a sobrancelha arqueada.

— Mas é claro! – Zack disse bem seguro de sua certeza.

— Que isso, então!? – Ele fez questão de exibir o celular aberto no aplicativo de mensagens.

— Isso quer dizer nada! – Zack estava incrédulo.

— E como foi que consegui? – Red tinha um sorriso de deboche.

— Cê pode ter descolado sem ela saber. – Ele não se deu por vencido.

— Mesmo?! – O amigo concordou com a cabeça. – Olha só. – Red apontou a tela do computador.

Nela havia uma postagem onde o amigo e Emie conversavam, apesar da maioria das respostas dela estar apagadas – algo que começou a fazer pra evitar briga entre os dois – a última ainda estava lá, e Zack pode ler nitidamente ela dizer o quanto Red era especial pra si e que sabia que podia confiar mais nele.

— Falou pra cês! – Zack saiu de cara fechada.

— Ué!? – Zie estranhou o amigo ir embora de repente. – Que bicho mordeu ele?

— Vai saber! – Red riu, sem dar a menor importância.

Zack costumava ficar até tarde quando tinha curso, indo embora junto com Red e Zie – afinal, ter amizade com monitor tinha lá seus benefícios – os três pegavam o coletivo no mesmo ponto.

Da janela, Zie o viu atravessar a rua, indo em direção ao ponto, então enviou mensagem perguntando porque não esperou um pouco mais, já que eles estavam pra sair, mas o amigo disse que tinha lembrado de algo urgente pra resolver.

Apesar da desculpa, a história não colou, o que realmente aconteceu é que após ler a resposta de Emie, Zack ficou tão fulo que resolveu ir embora.

Red já chegava em casa, quando recebeu um print da conversa de Zack com Emie. Nela, ele a questionava pelo que tinha escrito – pra consertar a situação – ela disse que também confiava nele e como prova lhe passou o número – o que foi suficiente pro ego dele inflar, fazendo-o esquecer de todo resto.

— Tá vendo, ela também confia em mim! – Ele se gabou.

Após de ler tudo, Red riu, aquilo só provava que ele tinha vencido a partida, o amigo só não ia saber como ele tinha.conseguido a façanha. Tinha sido até fácil, ele só precisou enchê-la de elogios, sendo bem fofo, até ela se desarmar ao ponto de dizer que confiava mais nele do que nos outros garotos, daí ele aproveitou e pediu pra ela lhe enviar o número se isso era mesmo verdade.

Com as respostas de Emie apagadas, não restaram provas de uma provável manipulação, mas mesmo que ela não tivesse feito isso, Red tinha sido tão perspicaz que não ia dar pra perceber que ele é quem a instigou.

Só que depois Emie foi tirar a história a limpo, dizendo-se chateada por ele ter dito pra Zack, mas ele disse que só comentou porque tinha ficado muito feliz dela confiar nele, mas que talvez Zack não tivesse entendido direito. Então, ele aproveitou pra meter mais elogios, dizendo que ela era especial demais pra ele a tratar como mero prêmio.

Isso fez a raiva que ela sentia sumir imediatamente, então ela voltou a ser carinhosa como sempre. Isso o fez perceber que realmente a havia cativado.

Por mais sagaz que fosse, Red não tinha a intenção de ludibriar Emie, apenas de conquistá-la, o problema é que às vezes falava demais – principalmente pra tentar afastar a concorrência. É que desde que começaram a conversar ele já gostou dela – se existe amor a primeira vista, por que não a primeira mensagem?

O que o fez se sobressair aos demais garotos é que enquanto eles não perdiam uma chance de enviar indiretas e diretas, Red apenas a tratava bem, o que fazia com que Emie se sentisse valorizada, não apenas como um bem a ser adquirido.

Zie é que não estava gostando nada disso – pior ainda porque acompanhava tudo de perto. Quanto mais via Red balançado por Emie, mais sentia que precisava alertar o amigo, mas nada do que falava parecia adiantar.

Qualquer coisa dita era rebatida por ele, deixando claro o quanto ela estava equivocada – pra ela aquilo era pior que cometer alguma atrocidade, pois cada palavra proferida em defesa de Emie lhe fazia o peito doer.

— Qual o problema de querer meus migos só pra mim? – Ela indagou a si mesma, após desistir de discutir com Red.

Ela tentava não dar tanta importância, mas aquilo a magoava, Zie era ciumenta mesmo, os amigos podiam ser poucas, mas eram seus. Ela sabia que verdadeiros amigos não são encontrados as pencas, no máximo se usa uma mão para contá-los, por isso valorizava demais os que tinha.

Ainda que manter amizade com a garota que lhe estava roubando os amigos e trazendo confusão fosse algo difícil, ela se esforçou, pois precisava de provas pra desmascará-la, até porque insistir pra Red se afastar dela, só o fez se tornar amigo da Moranguete e trocar ainda mais mensagens na frente dela – de propósito. Mas logo o jogo ia virar!


#proximoepisodio

Mais do que nunca Zie está decidida a provar que Emie não é nada daquilo que tem se vendido pra todos e ela vai fazer o que for necessário pra isso, pois precisa salvar seus amigos da garota fake.

Red estava ficando cada vez mais apaixonadinho pela crush, mas quando Iowa pede se verem, dizendo que tinha algo muito importante pra contar, ele volta pra realidade e vê a chance de revelar toda verdade sobre o namorado dela, mas será que fazer isso realmente vale a pena?

Ósculos e amplexos,

mishael mendes sign, assinatura

Mishael Mendes

Um cara apaixonado por música, se deixar ele não faz nada sem uma boa trilha sonora. Amante de fotografia, livros, animais e comida boa – principalmente a da mãezona. Criou o blog e o canal pra compartilhar sua visão inversível da vida.