Mary Jane

Mary Jane, marijuana, baseado, beck erva ou maconha é uma droga psicoativa, ou seja, que altera o humor, feita dos botões e flores da Cannabis Sativa. Ela pode ser encontrada na forma de tablete ou como erva seca. A substância nela, responsável pelas sensações despertadas, é o THC (delta-9-tetrahydrocannabinol).

Geralmente fumada em cigarros feitos à mão, pura ou misturada com fumo, ou em cachimbo, ainda pode ser ingerida, através de bolos ou bebidas quentes.

Se fumada, os efeitos são imediatos e podem durar até 4 horas, causando relaxamento, expandindo a mente e aguçando a percepção. Além de tornar o usuário mais sociável, falante e risonho, mas ela aumenta o apetite, além de causar anestesia e sonolência, perca de memória recente e confusão mental. Ela ainda pode distorcer o senso de espaço-tempo, dificultando a coordenação motora.

O abuso pode causar mal-estar, ansiedade, paranoia, pânico, alucinação, além memória fraca, dificuldade de concentração e falta de motivação. Viciante, sua fumaça é mais prejudicial que do cigarro comum, além de provocar câncer e problemas respiratórios. Uma alternativa é comê-la, mas dessa forma é mais difícil controlar a dosagem, além disso os efeitos são mais fortes.

O nome Mary Jane surgiu por causa de Mary Jane Rathbun, uma senhora de 57 que vendia brownies de maconha, na década de 70, até ser detida e obrigada a prestar serviços comunitários. Como consequência, ela acabou tendo contato com doentes e descobriu que a maconha ajudava a aliviar dores crônicas.

A erva ainda possui ainda uma série de nomes, como 4:20 ou 4i20, bagulho, lombra, marola, cangonha, banza, naronha, bango, dona Juanita, ganja ou ganza, Maria Joana, Skank, chá. Além disso, pode ser chamada de fumo, natural, liamba, buxa, kaya, stenorich, cânhamo, brenfa e thouze.